TEO MOV

TEO MOV

TEO MOV (Trust Each Other – Movement)

Rede europeia de Confiança mútua

WWW.TEO-MOVEMENT.ORG

Vivemos uma época de grandes dificuldades e desafios, em que as luzes da ribalta têm incidido sobretudo na realidade económica e nos seus parâmetros.

Mas a realidade é, todos concordarão, muito mais vasta. 

Por exemplo, e como é comummente aceite, a realidade económica é muito influenciável pela confiança dos mercados.

Assim, sem pretender desvalorizar as componentes económica e financeira desta crise nacional e europeia, estou convicto que o encontro de soluções cultural e socialmente aceitáveis, à luz dos nossos valores (nacionais e europeus), que infelizmente não são aqueles que muitas vezes prevalecem na gestão dos Estados e das instituições ao longo da História; o encontro de soluções aceitáveis à luz daqueles valores, dizia, passa por valorizar outros parâmetros desta crise, a meu ver, pouco valorizados, na procura de soluções.

Valores estes que dão sentido à palavra Humanidade, contribuindo decisivamente para o seu gradual e pleno aperfeiçoamento, como todos pretendemos.

O desenvolvimento de muitos desses valores assenta nalguns factores simples, muito básicos, talvez por isso muitas vezes negligenciados, mas de extraordinária importância, como é o caso da Confiança, a qual é um cimento invisível, essencial ao desenvolvimento e bem-estar social.

A mensagem será informar visualmente os que o rodeiam, através de um “sinal” vísivel e exterior, que é uma pessoa empenhada em elevar os níveis de confiança social, no espaço público: um mensageiro da Confiança.

Tal decisão, individual, difundida por milhares de aderentes, vai gerar um efeito muito positivo no aumento dos níveis de Confiança social, o qual terá, consequências benéficas no sentimento colectivo de segurança, entre outras, em resultado do qual sairá reforçada a sensação de confiança mútua no seio das comunidades citadinas dos paises europeus.

Como se sabe, a Confiança mútua é um componente vital das relações humanas, uma vez que é uma necessidade humana básica, inseparável da noção de segurança.

Como está definido no triângulo de A. Maslow, psicólogo americano do sec.XX, o qual hierarquizou as necessidades humanas, e muito bem desenvolvido no livro “TRUST” de Francis Fukuyama, cientista político, economista, historiador e filosofo, autor também de “O fim da História e o último homem”.

triangulo de maslow

Refiro ainda 2 definições da Confiança, um dos 3 elementos-chave no Capital Social: Niklas Luhmann, sociólogo alemão, define-a como “um mecanismo de redução da complexidade social”, enquanto o sociólogo polaco Piotr Sztrompka a define “como uma aposta no comportamento futuro e contingente dos outros”.

Há muitas definições (e tipos) de Confiança, mas creio que todos temos uma noção daquela que nos permite permanecer com mais ou menos tranquilidade interior, e segurança, nos ambientes exteriores em que nos encontramos, nomeadamente os urbanos.

Se o nível de Confiança mútua, na sua forma mais elementar, aquela que nos faz sentir seguros e tranquilos, num ambiente público e urbano, estiver diminuído, afectará transversal e negativamente os níveis de Confiança em todas as estruturas e instituições da sociedade.

Se em “deficit”, numa família, organização ou país, o potencial de afirmação individual, e desenvolvimento social, será tanto menor quanto maior for esse “deficit”.

Tanto as leis, como as normas de conduta civilizadas, não a substituem. Antes se cumprem e aceitam melhor, proporcionalmente aos níveis de confiança mútua, existentes nas sociedades.

O compromisso TEO, é individual, mas compatível com a grande maioria das opções de vida, ou escolhas pessoais, sendo assim a mais eclética das organizações.

O Movimento “TEO MOV” é proposto às pessoas, aos cidadãos, que partilham o espaço público das cidades europeias, e anseiam por uma atmosfera social menos tensa, mais confiante e logo, mais segura. Seguramente a grande maioria.

Cada pessoa, ao tomar a decisão de assumir o compromisso TEO (Trust Each Other), desempenhará um papel activo, e decisivo, na melhoria do ambiente social e da segurança colectiva.

Sem pôr em questão, nem precisar de explicitar, as suas opções pessoais.

Cada um de nós pode, e deve, desempenhar activamente as suas responsabilidades de cidadão, e não as deixar apenas a outros personagens sociais, que não substituem a acção, insubstituível, de cada um.

A exibição de um “sinal” exterior de Confiança, multiplicado por milhares de sinais idênticos, terá um efeito gerador, e multiplicador, da Confiança mútua no espaço público.

Tal efeito será possível a partir de uma decisão individual, e assegurará um espaço social, menos ameaçador, que não seja palco de tanta desconfiança difusa.

Como corolário, os efeitos positivos vão invadir outras vertentes específicas do espaço público, como as estradas da Europa. Entre outros.

A mim, satisfaz-me um projecto que pode contribuir para elevar, de forma transversal, o bem-estar social, através do empenho e envolvimento individual.

E neste caso, ao iniciar-se no nosso País, este projecto pode estender-se às cidades europeias, podendo vir a afirmar-se como um factor de identificação europeia. Porque não?

Termino esta apresentação com uma história judia que, a meu ver, traduz bem o espírito TEO.

 

Um rabino pergunta aos seus alunos:
- Como se sabe que a noite acabou e o dia vai nascer?
- Assim que podemos distinguir um carneiro de um cão – disse um aluno.
- Não, não é essa a resposta correcta – disse o rabino.
- Assim podemos distinguir uma figueira de uma oliveira – disse outro aluno.
- Não – disse o rabino. – Não é a resposta correcta.
- Então como se sabe?
- Quando vemos um rosto desconhecido, um estranho, e verificamos que é nosso irmão, nesse momento nasceu o dia”.
Rodolfo Proença de Jesus
Janeiro 2012